segunda-feira, fevereiro 27, 2006

Coruja

Tinha este trabalhinho pendente há muito tempo, talvez desde Novembro de 2005, e adorei o aspecto simpático dele.


É pequeno, 15cm de altura, fácil de agarrar e apertar.

E já agora, finalmente acabei o CD com a técnica de colagem e ficando apto a ser escrito e lido, no meu caso levou as fotos do Natal, o segredo era mesmo equilibrar o CD, ou seja as colagens têm que ser iguais em todo o CD, basta isso.

Foi Festa ...

da “rija”! Meteu chuva à mistura e tudo! Era ver as crianças, os professores, os pais e afins a correr pelo Estádio de Futebol da VdP !!! Apesar de ter ficado encharcada que nem um pinto consegui que o meu “pintainho” não ficasse.
Mas apesar da "chuvinha" e do frio foi giro. Claro que os mais giros eram os da classe da minha criança, sem dúvida nenhuma era a que tinha a equipa "professora e auxiliar", com mais imaginação e mais esforçada!



A chatice é ter que esperar mais um ano para a próxima festa de Carnaval das nossas crianças, e desejar com muita força para que a equipa "professora e auxiliar" seja a mesma ou pelo menos alguma tão competente como a actual.

sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Parabéns a Mim

É hoje, e já “nasci”, eram 8:25h, sempre gostei de começar o dia muito cedo.

E como, graças a uns amiguinhos que me relembraram a existência de Fernando Pessoa, aqui vai mais um que me diz muito, desta vez de Ricardo Reis:

"Para ser grande, sê inteiro: nada"


Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa.
Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive


Obrigada a todos os que não se esqueceram de mim, mais uma vez. Um beijão a todos vocês e que a minha felicidade seja para vocês também.

quinta-feira, fevereiro 23, 2006

Hoje não tenho nada para dizer

É verdade, estou em baixo de forma (aquilo a que se chama "monga"), e devia estar felicíssima porque amanhã entro nos “enta”, ou seja vou passar a ser uma senhora respeitável que está a pensar seriamente virar loira, afinal a maioria das mulheres Portuguesas com mais de 40 anos são loiras.
Mas nada disso, estou chateadíssima e ando a empurrar-me a cada minuto que passa. Que raio de dia.

Em todo o caso descobri um poema que reflecte muito o que me vai na cabeça. Fernando Pessoa, no Cancioneiro

"Tenho Tanto Sentimento"

Tenho tanto sentimento
Que é frequente persuadir-me
De que sou sentimental,
Mas reconheço, ao medir-me,
Que tudo isso é pensamento,
Que não senti afinal.
Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.
Qual porém é a verdadeira

E qual errada, ninguém
Nos saberá explicar;
E vivemos de maneira
Que a vida que a gente tem
É a que tem que pensar.


Pronto, eu ando na “vida de pensar” o que me cansa, porque gosto mais da que é “vivida”.


Bom dia para vocês!

quarta-feira, fevereiro 22, 2006

Nova tentativa

Agora quero utilizar CD decorados mas com conteúdo. Para começar não me sai muito bem, parece que o CD não está equilibrado !!!!
Vou ainda tentar equilibrá-lo! O objectivo era gravar fotos no CD e oferecer o CD decorado (referentes ao Natal 2005).
Se funcionasse ficava tão giro, mas desequilibrado é que não, parecida que tinha uma noto dentro do gravador de CDs.


Mais uma vez, lamento a foto! Acho que o próximo passo será aprender a tirar fotos.

terça-feira, fevereiro 21, 2006

O Poço

Vejam como ficou giro, o poço para a turminha da minha criança na festa de Carnaval.
O poço foi feito em cartão pelo “engenhero” lá de casa, depois a pintura e a simulação das pedras fui eu.
Não está um espanto? Agora cada um dos meninos leva uma bilha feita de 2 baldes e forrada a cartão (eles pintaram). E as outras mães fizeram os fatos de aguadeiros e lavadeiras todos pintados por eles.

segunda-feira, fevereiro 20, 2006

Afinal já tinha feito...

Várias páginas de scrapbooking (não sei a tradução). Andava a vários meses a querer fazer páginas desta técnica, porque acho que fica um espectáculo guardar fotos assim, nunca gostei dos álbuns tradicionais com uma sequência de fotos, que tem como único objectivo não se perderem e passados anos ninguém sabe bem onde e como foi.

Quando andava a vasculhar os álbuns do G. (que estão desactualizadissimos) dei conta que … afinal já tenho um álbum de scrapbooking. Foi um álbum que fiz durante o tempo em que estive grávida, para lhe puder mostrar quando ele entendesse melhor a coisa.
Foi óptimo tê-lo encontrado, porque aproveitei para lhe mostrar quando ele era mesmo bebé, e os sítios por onde tinha passeado quando andava cá dentro. Ele adorou!

Aqui vão algumas páginas, como devem imaginar, não dá para mostrar todas, afinal estive grávida 7 meses.



Claro que não é um scrapbook lindo de morrer como alguns que vejo, mas gostei bastante do resultado.
Desculpem as fotos, mas não tive tempo para “scarnear”.

Agora uma coisa é certa, dá muito trabalhinho, tenho que começar já se quero ter as cercas de 2000 mil fotos que lá tenho à deriva, arrumadas (ou pelo menos algumas). Já comecei por comprar caixas para as sequenciar mas nem isso ainda consegui fazer.


sexta-feira, fevereiro 17, 2006

A Vaquinha branca e preta ...

"... pastava, pastava, mas não engordava!

Era uma vez... uma vaquinha, uma vaquinha branca e preta que andava muito triste.

A vaquinha branca e preta pastava, pastava mas não engordava.

Ela olhava para as outras vaquinhas do pasto e todas estavam gordinhas e luzidias; só ela era magrinha. Então a nossa vaquinha, decidiu ir ao sr. Doutor.

O sr. Doutor quando a viu perguntou-lhe:
- Então o que se passa contigo vaquinha branca e preta?
- Ora sr. Doutor, estou muito triste. Eu passo o dia a pastar, a pastar mas nada de engordar! Responde a vaquinha branca e preta.

O sr. Doutor ficou curioso e perguntou-lhe:
- E o que pastas tu, vaquinha?
- Pasto lasagna, pizza, spaguetti .... Responde a vaquinha.
- O quê ? diz muito admirado o sr. Doutor, Mas uma vaquinha não come lasagna, pizza, spaguetti ...
- Não ? pergunta a nossa vaquinha. Então come o quê ?

O sr. Doutor cada vez estava mais espantado:
- Ora, as vaquinhas devem comer ervinhas verdes, florinhas amarelas ...
- Oh, sr. Doutor, mas isso é tão esquisito, então eu não vou poder comer lasagna, pizza, spaguetti...? E tenho que comer ervinhas verdes e florinhas amarelas ?
- Claro! Responde o sr. Doutor. E daqui a uma semana vens cá !

A vaquinha branca e preta, saiu ainda mais triste do que tinha entrado, mas decidiu experimentar o que o sr. Doutor lhe tinha dito. Foi para o campo pastar ervinhas verdes e florinhas amarelas.
Mas que saudades das lasagnas, pizzas, spaguetti... que a nossa vaquinha branca e preta tinha. E estava sempre com fome. Tinha que passar o dia a comer ervinhas verdes e florinhas amarelas para ficar sem fome.
Durante essa semana a nossa vaquinha branca e preta aproximou-se de um lago, onde as outras vaquinhas brancas e pretas íam beber água e reparou ...
- Ah! Estou mais gorda ? pensou a nossa vaquinha branca e preta quando se viu reflectida na água...

Continuou o resto da semana a pastar ervinhas verdes e florinhas amarelas, e começou a sentir-se mais bonita, mais parecida com as outras vaquinhas brancas e pretas que andavam no campo.
Sentiu-se tão bonita, que passada uma semana foi de novo visitar o sr. Doutor. Mas desta vez ía feliz e levava um chapéu de palha com florinhas vermelhas e uma fita azul.

Quando lá chegou o sr. Doutor nem queria acreditar:
- Mas vaquinha branca e preta, estás linda, gordinha e luzidia ...
- É verdade sr. Doutor, mas tenho tantas saudades das minhas lasagnas, pizzas, spaguetti... Eu bem tento esquecer-me, mas quando estou a pastar as ervinhas verdes e as florinhas amarelas só penso nas minhas lasagnas, pizzas, spaguetti...

O sr. Doutor pensa e depois diz,
- Então vamos fazer assim, mas não podes dizer nada a ninguém ...
Durante a semana pastas as ervinhas verdes e as florinhas amarelas como todas as vaquinhas . E ao fim de semana comes as lasagnas, pizzas, spaguetti ...
Mas não dizes a ninguém, porque as vaquinhas têm que pastar ervinhas verdes e florinhas amarelas e não podem comer lasagna, pizza, spaguetti ...

Que contente ficou a nossa vaquinha branca e preta de chapéu de palha com florinhas vermelhas e fita azul ...
- Claro sr. Doutor, esteja descansado, eu não digo a ninguém.

E lá foi a nossa vaquinha branca e preta de chapéu de palha com florinhas vermelhas e fita azul para o pasto; pastar ervinhas verdes e florinhas amarelas, esperando ansiosamnete pelo fim de semana para comer lasagna, pizza, spaguetti ...

"

Esta foi a segunda história que escrevi para o meu filho quando ele nasceu, desde que ele nasceu que quase todos os dias lhe conto uma história para ele dormir, e no ínicio evitei comprar livros de histórias porque sabia que ele não ligava nenhuma, mas confesso que ao fim de inventar 6 histórias (e fiquei por ai) todas com animais diferentes, acabei a comprar Muitooooooooooooos livros.

Cartão Especial


Há tempos referi que estava a tentar fazer uma coisa gira. Felizmente entrou no meu grupinho de contactos uma nova pessoa que é pró em trabalhos manuais e não só. Foi graças a ela que me deu força e algumas dicas para fazer que consegui fazer um postal em papel vegetal, não está muito bom, porque foi feito durante a noite já com algum sono, mas queria mesmo acabá-lo. E acabei por ficar muito orgulhosa do resultado, e vou fazer mais, e agora quero complicar.

As outras paredes

A pedido de várias famílias e porque queria fotos, antes que o meu filho decida que afinal gosta mais do Homem Aranha ou da Escavadora do Bob, decidi fotografar as outras paredes do quarto dele.


O balão verde e as nuvens é que fizeram o G. nascer mais cedo, nos livros de grávidas é referido que não se devem levantar os braços para estender a roupa, mas esqueceram-se de dizer “nem para pintar” e também não se devem subir e descer escadotes.




Esta parede é toda dedicada à quinta e o objectivo dos desenhos simples era ensinar-lhe o que era uma vaca, um cavalo, um porco, ... e ao mesmo tempo o som que cada animal fazia, eu sei imitar todos os que estão na parede, por isso cada vez que dizia o nome dele fazia o barulho correspondente, muito cedo ele associou o som ao animal, e assim já podiamos brincar. É dificil brincar com um bébé que só diz gugu e gaga.

quinta-feira, fevereiro 16, 2006

Uma gaiola, uma casa de bonecas

Precisamos de passar um dia juntas (eu e a minha afilhada de 6 anos). Mas para fazer o quê? Alguma coisa que uma mãe atarefada não consiga fazer, nem lembrar-se!!!
Até que surgiu a ideia: - Madrinha, o meu tio deu-me uma gaiola, mas vazia e a minha mãe não quer pássaros cá em casa! Disse a minha afilhada.

- Óptimo, fazemos uma casa de bonecas com ela disse eu, ideias não me costumam faltar, mas falo sempre antes de pensar no realmente vai ser necessário, e agora não podia estragar o sonho dela.

Olhamos para a gaiola, discutimos ideias, tirámos medidas (as bonecas são as Polly, com fatos de borracha, horríveis mas que a C. adora) e agendámos para o fim-de-semana de 11 fev.

Chegado o fim-de-semana olhámos finalmente para a gaiola (já vinha lavada e pronta a ser tratada)


As ideias eram muitas, mas era preciso fazer tudo numa tarde, com tempo para secar, e coisas fáceis para a C. fazer sozinha (ela fazia questão).

Depois de muita tinta espalhada, dedos desgraçados de cortar cartão duro, desespero por as tintas não secarem… terminámos e o resultado foi…



Andar de baixo: pintado como se fosse de tijoleira, onde vai ser a loja das Polly com os vários expositores (penso que será um supermercado). Tem um sino à porta para elas tocarem quando chegam, e uma cortina esponjosa para as moscas não entrarem.

No 2º (meio-andar): será o quarto, com uma banheira especial de hidromassagem feita de um comedor de pássaros, e um espelho para as Pollys se verem ao acordar da sua cama junto ao chão (a mobília já existe).

Na cave, serão guardadas as roupas da Polly (umas coisas pequeninas que só servem para se perder).
O telhado foi pintado de vermelho e foi ainda pintado um canteiro à volta da casinha.


Ficou pendente a trepadeira pelas paredes da casinha e as flores em vasinhos ao lado da porta.

Ah! E o pai ficou encarregue de fazer um cata-vento para o cimo do telhado.

quarta-feira, fevereiro 15, 2006

O livro da Quarta-feira

Vejam este livro fantástico, várias vezes me questionei sobre este tema. Aliás, quando o meu filho nasceu, registei no diário dele as notícias mais importantes que saíram nos jornais, até o que vinha no “Borda D’Água” sobre estrelas, agricultura, jardim, marés, …, não quis que no futuro ele tivesse a mesma dúvida que eu.

E agora descubro este livro com acontecimentos que não me deixam nem mais, nem menos feliz, mas … que contam a história do meu ano.
É como se lesse o meu horóscopo do dia, quando diz “diversão durante o dia”, acredito; quando diz “tudo vai correr mal”, ignoro. Com este livro acontece o mesmo… deixa ver que acontecimentos giros aconteceram em 1966? (para alguns é mais ou menos na pré-história, para mim é um ano fantástico… Eu nasci)



terça-feira, fevereiro 14, 2006

Ramo de Flores


É tão lindo que tenho que o mostrar. Acabei de receber!
Desta vez não era para a minha colega…


Nada melhor para passar o dia de trabalho (que vai ser a correr) do que um ramo de flores lindo e que até cheira a flores (muito).
Obrigada fofo, adorei e adoro-o!

Dia das Amigas e Namorado

Como nem sempre tive namorado, mas sempre me divertiu este dia, transformei há muitos, muitos anos, este em dia em “Dia das Amigas e Namorado”, assim também posso dar postais às minhas amigas.
Não há ninguém que não goste de receber um postal a dizer que são queridas por alguém, e se vier acompanhado com flores (em vaso, em ramo, em desenho, em origami, ou outra coisa qualquer) melhor ainda.
Claro que uma caixinha de chocolates também é muito bom.

Assim para todos aqueles que sabem que me são queridos … Um excelente “Dia das(os) Amigas(os) e Namorado”, com muitos corações e flores no ar.

De Paulinha (C)

CD Reciclado

Mais um CD transformado em postal, também de aniversário.
Desta vez utilizei a “técnica do guardanapo”, tal como já tinha dito, gostei bastante.
O difícil é controlar o “pouco” de verniz-cola que se põe, eu ainda estou na fase “muito de pouco”, ou seja ainda fica com altinhos, mas vou conseguir, devia era fazer muitos mais.

Outra coisa em que tenho que pensar é no envelope para transportar o CD-postal. Tinha pensado em fazer uma caixinha em cartão ondulado, mas dá muito trabalho para fazer durante uma noite (este foi feito às 2:30h), por isso acho que vou optar por fazer um envelope de CD em cartão, eventualmente decorado como CD e logo com a janelinha para o nome do destinatário.

Além disso as pessoas a quem tenho dado ficam à espera que o CD contenha música… acho que vou aproveitar a ideia, mas aí tenho que ter cuidado com os materiais e com a escrita, vou ter que fazer experiências antes.




Está a chegar a Páscoa (para o Carnaval, terminei este fim de semana), preciso pensar no que vou oferecer aos meus afilhados pequenos (ela de 7, ele de 4) não posso dar postais.
Para ela estava a pensar num quadro com fundo, simulando alguma coisa fofa, tipo um jardim de flores coloridas, um guarda-fato com roupas de bonequinha penduradas, … Não sei.

Para ele … acho que vou ter mesmo que comprar, menino de 4 anos é muito “máquinas, carros, motas, …”

E já me estava a esquecer, todos os 1º Sábados de Primavera faço a “festa dos meus afilhados” lá em casa, também para essa preciso de lembranças e actividades para o dia, e não sei se é antes ou depois da Páscoa.

segunda-feira, fevereiro 13, 2006

Objecto especial

O meu objecto especial, mais que especial é… São 2.

O primeiro:

Uma caneta, e qualquer uma desde que escreva em azul (de preferência) e bem, não consigo viver sem uma caneta no bolso, na mala, na mesa-de-cabeceira, …. Quando troco de mala ou casaco costumo juntar várias, porque sempre que saio de casa ou do trabalho ponho uma caneta no bolso (pode ser preciso para apanhar o metro :) ).



O segundo:

Um pacote de lenços de papel, também de qualquer marca, desde que branco e sem cheiros, devo ser das pessoas mais ranhosas do mundo :)

domingo, fevereiro 12, 2006

5 Manias Chatas ou Talvez Não

Bom vou entrar na corrente, é um bocado arriscado, mas seja o que Deus quiser :)
Para começar, a dificuldade é seleccionar só 5 das minhas manias.

Então vamos lá:

1ª Chateia-me tudo o que se relaciona com sapatos/chinelos … experimentar, usar, comprar, alargar, oferecer, deitar para o lixo, por capas, pôr atacadores, espetar os saltos no passeio.
Não uso sapatos que mostrem os calcanhares ou os dedos dos pés, se calhar não gosto é de pés ;)
Divirto-me a engraxar, pôr sebo nos sapatos de “forcado”, andar de salto alto.

2ª Não consigo estar numa cozinha cheia, desarrumada, com louça para lavar. Antes de fazer qualquer relacionada com comer (nem que seja sandes) tenho que lavar toda a louça que exista nas redondezas. Quando o meu “querido” faz mousse (e aqui incluo publicidade “A melhor Mousse de Chocolate de toda a Europa”), ainda ele não acabou de utilizar a batedeira e já eu estou a lavar as varetas.

3ª Livros estragados, outra coisa que me tira do sério, e por “estragados” quero dizer, páginas dobradas (cantinhos), páginas riscadas/sublinhadas, capas dobradas, capas vincadas, capas soltas das páginas, capas com vincos de caneta (quando se utiliza o livro como base de escrita), capas esfoladas.

4ª Estar com pessoas que falam com outra olhando para todo o lado menos para a pessoa com quem estão. Não consigo deixar de mandar “bocas” até a pessoa perceber que está com um “problema de visão”.
Divirto-me sempre com o ar importante que me lançam.

5ª Pessoas mal-educadas, que fingem que não vêem ninguém ou estão muito ocupadas para dizer “bom-dia”.
Divirto-me a “ensinar” antipáticos/mal-educados a dizer “Bom-Dia”, repetindo “Bom-Dia” tantas vezes quantas posso, até a pessoa passar a dizer “Bom-Dia” mesmo que não queira e até antes de mim.

Pronto, tenho mais umas tantas, mas vou manter as 5 de cada vez :)


Convido para este “baile” (5 manias, à Segunda) umas pessoas importantes para mim que não costumam aparecer por aqui,


Ana Serpa

Sem Tempo

Povo de Baha
Caixa de Costura

Carlota's Thoughts


Como recomendado, aqui está o regulamento do presente jogo:"Cada bloguista participante tem de elencar cinco manias suas, hábitos muito pessoais que os diferenciem do comum dos mortais. E além de dar ao público conhecimento dessas particularidades, tem de escolher cinco outros bloguistas para entrarem, igualmente, no jogo, não se esquecendo de deixar nos respectivos blogues aviso do "recrutamento". Ademais, cada participante deve reproduzir este "regulamento" no seu blogue."

sábado, fevereiro 11, 2006

Porque gritamos?

Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta aos seus discípulos: "Porque é que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?"

"Gritamos porque perdemos a calma", disse um deles.
"Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado?" Questionou novamente o pensador.


"Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça", retrucou outro discípulo.
E o mestre volta a perguntar: "Então não é possível falar-lhe em voz baixa?"

Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador.

Então ele esclareceu:

"Vocês sabem porque se grita com uma pessoa quando se está aborrecido? O facto é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, os seus corações afastam-se muito. Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente. Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para se ouvirem um ao outro, através da grande distância. Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão apaixonadas? Elas não gritam. Falam suavemente. E por quê? Porque os seus corações estão muito perto. A distância entre elas é pequena. Às vezes os seus corações estão tão próximos, que nem falam, somente sussurram. E quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer de sussurrar, apenas se olham, e basta. Os seus corações entendem-se. É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas."

Por fim, o pensador conclui, dizendo: "Quando vocês discutirem, não deixem que os vossos corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta".

Mahatma Gandhi

Já há algum tempo recebi este mail, que achei fantástico e me fez pensar. Ontem passeando pelo computador voltei a encontrá-lo e depois de o ler, fiquei a pensar: porque é que nunca me lembro disto quando me irrito?

sexta-feira, fevereiro 10, 2006

Dragão


Finalmente consegui fazer o dragãozinho em feltro, com os moldes que a Claudia-Bonecas de Pano me enviou (foi uma querida).
Bem não ficou bem como o molde, tenho dificuldades em riscar duas vezes, por isso teimo em olhar para o desenho e riscá-lo logo no feltro, por isso nem sempre fica muito parecido, e as medidas também ficam um bocado à zona.
Além disso tirei os cornichos que tinha, achei que ficava melhor sem eles.

quinta-feira, fevereiro 09, 2006

Caixinhas

Gostam?

Transformei umas caixas de cartão azuis, em caixas para guardar correspondência para oferecer a uma amiga.
Finalmente consegui utilizar a técnica do guardanapo, que já tinha tentado umas 4 vezes sem sucesso. Finalmente descobri o erro; eu achava que cola ou verniz-cola, era a mesma coisa, e somente uma mariquice dos vendedores para eu gastar mais dinheiro …
Pois, afinal não era mariquice, comprei verniz-cola, e não é que funcionou !!!



Como gostei de fazer isto, acho que vou inventar mais umas coisitas …

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

Livro à Quarta-feira

Mais um livro de mistério em épocas passadas…


O Corvo em Forgate, um Enigma Medieval de Ellis Peters – “No Natal de 1141, o abade Radulfus regressa de Londres trazendo consigo um padre, para o beneficio que vagara em Holy Cross, conhecido por Foregate, um homem com boa apresentação, erudito e disciplinado, mas sem humildade nem bom senso. Quando o encontraram afogado no açude, as suspeitas espalharam-se em muitas direcções, principalmente na de um jovem que integrava a comitiva do padre e que fora escolhido para trabalhar no horto do irmão Cadfael, pois já se tornara óbvio que não tinha vocação para padre.
Ao irmão Cadfael compete a difícil tarefa de definir as complexas fronteiras que separam a culpa da inocência.”

Uma passagem do livro:
- Está ferida! – exclamou Cadfael e, sem lhe pedir licença, destapou-lhe a cabeça e virou-lhe a cara para a luz do dia que estava a nascer. – Foi uma pancada forte, precisa de ser tratada. Como lhe aconteceu isto?
- Contraiu-se um pouco quando ele lhe tocou, mas depois rendeu-se com um suspiro de resignação.
- Saí de noite, ansiosa por não saber dele, para ver se via alguém ou se havia algum sinal que me indicasse o seu paradeiro. O degrau da porta estava coberto de gelo, …

terça-feira, fevereiro 07, 2006

Ponto Situação - Bonsai

A dona queria saber o estado dele, e como nada melhor do que uma imagem, aqui vai



Já tem o ramo novo a crescer muito bem e a engrossar, o ramo antigo está a ser cortado nas pontas para não tocar no chão, e ao mesmo tempo criar folhinhas novas a meio dos ramos e também se está a dar bem. Na passada 5ª apareceu com as pontas de algumas folhas castanhas, desconfio que tenha sido a lareira, apesar de estar bastante afastado, vou ter que o borrifar mais.

O meu Ulmeiro (agora já sei o nome, ao fim de 5 anos de Bonsai), esteve com botões, mas perdeu-os todos nestes 2 últimos meses, espero que não seja desgraça que se avizinha, continuo a borrifá-lo todos os dias, e coloquei-o junto a uma janela com sol toda a manhã, quando há :-) e na sala da lareira para que fique mais quente, vamos ver o que acontece.

segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Cá estou eu


… O Brise continuo.
Lembram-se?

Pois então vamos lá ver se consigo fazer um resumo dos trabalhinhos que andei a fazer…Ora bem, tenho mais um caderno aos quadradinhos que ofereci a uma pessoa novinha na minha lista de “gente gira que faz coisas giras” e um marcador de páginas.




Ah é verdade! Cláudia não fiz ainda o dragãozinho (está difícil).

Também fiz pregadeiras com fartura; aproveitei “fofinhos” que tinha feito na época Natalícia, mas que não utilizei, e renovei-os. Gostei dos resultados!




E fiz mais uma baseada no arquivo da “Coisas da Mafraldinha”, para uma coleguinha de trabalho que gosta de azul-turquesa e gostou das minhas nuvens.



Pode não parecer, mas é azul-turquesa e as estrelas são prateadas :)
Vão ensinar-me a fazer uma coisa, que se eu conseguir aprender e fazer alguma de jeito, vos vou mostrar, estou encantada com a ideia.

Já acrescentei mais uns links por aqui (também estava na minha lista de trabalhos “JÁ”)

E mais?...
É verdade, o meu Óscar está excelente, agora comprei-lhe uma lâmpada que lhe dá calor mas não luz (fica com a luz do dia) porque estava preocupada com os olhos dele sempre com luz vermelha, mas agora estou a lembrar-me … será que a luz “intensa” não lhe fará falta para a carapaça? A lâmpada actual foi caríssima, é uma coisa creme horrorosa de porcelana que só dá quentinho. Que raio … mais uma dúvida!