sexta-feira, novembro 07, 2008

Eu sei que sou

Mas escusam de estar sempre a lembrar-me.
Não vão conseguir com que eu fique triste ou preocupada por ser gorda, por isso larguem-me a “labita”.

Não há dia nenhum que não me apareça alguém com um papelinho deste tipo para me dar e se eu estiver acompanhada de mais vinte pessoas, escolhem-me sempre.


Chegam a dar vários ao dia, umas vezes do mesmo sitio outras vezes variam.

Eu sei que eles devem ter uma qualquer aplicação informática naquele cérebro que os mandas escolher pessoas com o meu perfil físico, mas se não se importem acrescentem lá: “não entregar a pessoas que vão a sorrir” ou parecido.
Comigo é sempre um desperdício de papel; está bem que uns dias fazem falta para fazer uns tsurus ou outras experiências, mas quando for assim estejam descansados, eu vou lá pedir como se estivesse interessadíssima.

3 comentários:

Andrea Guim disse...

Oi, Dina!!

Amei o que falaste, de não importar-se de ser gorda... Preciso aprender contigo. A cada quilo que engordei - faz uns 4 anos - diminuí uns tantos sorrisos...
Obrigada pela lição de bem viver!!!
Beijins,
Andrea Guim

liliana_lourenco disse...

Ahahahahah!!

Olha vou enviar a imagem para a minha irmã! :) eheh!

Mas o que importa é o interior! :)
E tu és uma fixe, por dentro e por fora. :)

Não deixes de sorrir por causa desses idiotas dos folhetos. :)

**

André disse...

Quero lá saber, gosto de ti à fartazana e tenho sorte em conhecer-te. E eu sou careca