quarta-feira, abril 05, 2006

Estive a olhar

Eu ainda sou das pessoas que até gosta de andar de Metro.

Ontem enquanto estava na estação de Metro decidi ficar a olhar para as pessoas que por lá andavam, chegavam e saiam…
Vi gente gira!

Um rapaz, que afinal percebi depois, era rapariga, ficou parado a meio do corredor a olhar para o chão, não estava a ver nada no chão (eu também olhei), ficou só parado, eventualmente a pensar, não consegui perceber, mas ficou assim 5mn, eu não resisti a esperar por ele.
Foi esta situação que me fez olhar para as outras pessoas.

Entretanto passou um homem acelerado até parar junto da linha amarela, de notar que não havia qualquer Metro na estação, nem se ouviam apitos de chegada de Metro, chegou aí e começou a fazer relaxamentos (pelo menos parecia, abanava o pescoço, a cabeça, os braços, …).

Depois descobri duas meninas “bonitas” com aqueles “saquinhos de frio” que eu usava para guardar o comer do meu filho sempre que saía, cheguei à conclusão que deviam ser para guardar os iogurtes, a fruta, em resumo a comida saudável que antecede o Verão.

Mais umas senhoras cansadíssimas que deviam estar a trabalhar desde muito cedo, sempre com o seu saco, este já maior do que os “saquinhos de frio”.

Outra menina “bonita” desta vez a ler um livro enorme, mas alguma coisa se passava porque não mudava de página.
Mais uma senhora a ler um livro de Margarida Rebelo Pinto, pensava que já não se conseguiam ler livros dela, aqui confesso mais uma falha minha, nunca li nenhum dos seus livros.

E depois mais gente que por ali deambulava como eu.
Ah! Ainda existiam os estudantes de dossiers na mão, dossiers esses que quando estavam em mãos de raparigas pareciam rebentar pelas costuras de tão cheios; se estavam em mãos de rapazes pareciam vazios ;)

Entretanto quando o aviso da chegada de Metro tocou, todos se transformaram em formiguinhas viradas para o mesmo lado e no mesmo carreiro, desde esse momento deixei de reparar nos outros, aproveitei para dormir.
Ah, ainda não! Ainda sei conta que o “rapaz que afinal era rapariga” tinha entrado para a mesma carruagem acompanhado de uma amiga que entretanto se juntou a ele ainda no cais.

É giro olhar para os outros, claro que isto só é possível quando eu não sou uma das que corre e tenho tempo para ficar a olhar…

9 comentários:

O que eu quiser disse...

é fantastico as coisas que observamos.... também faço isso muitas vezes... para além de descontrair, passa mais rápido o tempo e sem stress...
beijokas

Ouvinte disse...

Foi logo de manhã que coloquei aqui um comentário ... e ele foi-se, não está cá :( Fiquei triste.

Bem mas o que disse foi mais ou menos isto.

"Também gosto de ficar a olhar para o que me rodeia, até porque tenho muitos momentos de espera, aquele tempo em que espero que a minha namorada saia do trabalho.

Ainda ontem fiquei, perto do jardim do campo grande a observar o movimento dos carros, a forma de condução das pessoas e até a atitude passiva dos policias perante determinadas infracções.

O mais engraçado é que o policia estava a passar uma multa a um outro condutor enquanto os outros faziam uma atrás das outras.

Até gostei de ver um cão que de tão pequeno se enfiou numa sargeta, ok a sargeta era um bocado grande ...

é engraçado ver a vida dos outros, e será que alguem estava a ver os meus comportamentos?

a lice disse...

Sabe bem observar!
E, no Metro, isso é relamente muito interessante de se fazer! Sobretudo em hora de ponta, e sem pressas!:)

dina disse...

olá "ouvinte", garanto que não apaguei nada, só uma pergunta o cão era bébe, não? o meu malaquias também de atirava dos muros e para dentro de água mas em bébe, depois de "grande" já esperava por chegar à praia

BAd disse...

Olá Dina, eu sou muito observadora do que me rodeia também, e ligo a pequenos pormenores. Na minha vida pessoal não julgo pelas aparências.
Isto para dizer que, nos transportes públicos, o meu passatempo perferido é, olhar bem para as pessoas e pelo que vestem, pelos acessórios ou falta deles, pelo que leêm ou pastas que trazem, pela companhia com quem viajam, imagino o que essas pessoas fazem, se têm filhos, quantos têm, como os educam... etc.
É muito giro também, e mesmo que não seja verdade, faço sempre histórias de vida muito cor de rosa :)
Beijinhos

Alma Minha disse...

Sexta feira, sou eu quem vai estar por aí a observar o que se faz...
Bjs

Rui Miguel Soares disse...

Nesses momentos de espera ( e desepero) fico a olhar as pessoas que passam e a tentar advinhar quem são, que profissão tem, o que fazem ali, etc.
Embora muitas vezes se cai no erro de rotular cada pessoa que olhamos/analisamos, o mais engraçado é criar a "estoria" da pessoa.

@ disse...

olá Dina! obrigada pela visita!
era bom se todos nos observassemos mutuamente sem juízos de valor...e há tantas histórias por detrás de um rosto,por detrás de um gesto...digo isto porque acho que julgamos os outros com muita leveidade...
bjs e volta sempre!

@ disse...

veleidade...leviandade??? bahhh, já me baralho... vou continuar a ver os teus posts...interessante conseguires fazer bonsai...e á vinda para baixo chamou-me a tenção a mola da roupa...vou lá ver do k se trata!!
obrigada pela visita ao meu blog. logo, logo aquilo vai ficar ameno e agradável...espero eu!!!
bjs.